segunda-feira, 24 de maio de 2010

QUATRO FOLHAS

Sábado diverti-me imenso, mas há divertimentos que se pagam. Ontem vários acontecimentos relacionados e não relacionados com a noite anterior, causaram-me um dói-dói, pequenino é certo, mas que com o decorrer do dia me condicionou, fui ficando menos bem. A meio da tarde tentei desabafar com um pessoa amiga mas os problemas desta, não me deixaram espaço para carpir o meu estado de espírito. À noite consegui, em discurso mais ou menos corrido e resumido, expor o que me estava a perturbar, coisas muito pequenas, mesquinhices talvez, mas de pouco me valeu, quem me ouviu, que me perdoe, não teve capacidade para me “amparar”, disse-me o que eu já sabia e até fez realçar um pouco o meu egoísmo (penso que não estava a ser egoísta, estava um pouco revoltada, magoada... ).
Hoje estou arrebitada, uma belíssima noite de sono e uma incursão matinal, à conversa com as minhas plantinhas, foi um remédio miraculoso…
No que eu pensava ser um monólogo dei por mim a ser observada pelos meus trevos, os meus trevos de 4 folhas que me disseram, através de um porta voz, eles não são como os humanos que falam todos ao mesmo tempo e mal se sabem ouvir:

"A idade não te trouxe mais discernimento, és muito crédula, deixa-te de lirismos que cheiram a mofo, olha para mim! Sabes quem sou? Tens que saber, tratas-me sempre com tanto cuidado… Eu sou um símbolo, um símbolo no qual tens que acreditar… Já sei! Já sei! És muito crédula numas coisas e incrédula noutras. Tens que te situar e com urgência no meio-termo.
Os celtas acreditavam que um trevo como eu e os meus irmãos de quatro folhas é um sinal de SORTE! Acredita que cada uma das minhas folhas tem um significado: ESPERANÇA, FÉ, AMOR e SORTE.
Quatro é um número que representa um ciclo completo, como é o caso das 4 estações do ano, as 4 fases da lua, os 4 elementos naturais: AR, FOGO, TERRA e ÁGUA.
Não resmungues! Eu sei que aos quatro elementos naturais tu costumas juntar um quinto, o AMOR! Mas isso é outra historieta, taras de mulher romântica…
A nossa fama é tanta que até inspirou uma marchinha de Carnaval, no Brasil, cantada por Nara Leão:


Trevo de Quatro Folhas
Vivo esperando e procurando um trevo no meu jardim
Quatro folhinhas nascidas ao léu,
me levaria pertinho do Céu
Feliz eu seria e o trevo faria que ele voltasse pra mim...
Vivo esperando e procurando um trevo no meu jardim. "

E com estes versos no ouvido, entrei em casa sentindo-me mais EU, muito mais reconfortada! Encontrei um trevo...! Prometi a mim própria que quando me sentir um “pouco menos” , irei falar com os meus trevinhos…

Nota: Estes trevos são mesmo meus e a fotografia foi tirada por mim! Estou muito orgulhosa com este meu feito fotográfico, os meus amigos fotógrafos que se cuidem, podem ter aqui uma séria rival :):):)....

35 comentários:

  1. Querida Maria Teresa

    Além do mais um bonito texto da tua vivência... com tantos símbolos quantos quisermos ou soubermos encontrar.

    Gostei muito da aproximação que descreves ter feito à Natureza, mãe e confidente... (e a fotografia está bem bonita).

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Querida Amiga

    espero que a boa disposição reine por esses lados, depois da conversa com os seus trevos de quatro folhas. A foto ilustra bem que eles são sensatos, tal como a dona.
    Já me sinto mais satisfeita, afinal não sou a única a ouvir as plantas.
    beijinhos "floridos"
    Fátima Lourenço

    ResponderEliminar
  3. Maria Teresa,

    Dói-Dói após um momento de fulgor, acontece... pode ser físico ou emocional.
    É assim como uma marca de que a ocasião não passou em vão.
    Os "nossos trevos" renovam-nos para uma próxima, não é?

    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que tens trevos para te aconchegarem a alma. Eu tenho cães. Vai dar ao mesmo, porque o que às vezes precisamos é de uma boa conversa connosco mesmos.

    ResponderEliminar
  5. Todos temos dói-dóis e também temos direito a ser egoístas de vez em quando! Ainda bem que recuperou, afinal não sou a única a falar com gatos e plantas!

    Bjokas

    ResponderEliminar
  6. Ao menos a natureza animou :) Bem que precisava de um trevo de 4folhas :P

    Bjokas *****

    ResponderEliminar
  7. Oi maria teresa
    É sorte ter trevos enfeitando a casa, bons fluidos.
    Há mais dias assim até mais do que merecemos, coração meio apertado no peito,alguma pequena melancolia que passa om a descoberta dos sons das plantas. É normal.
    Ficou boa mesmo a foto. Depois que sentir o ´prazer, só vai querer ficar clicando tudo que vê pela frente rsrs
    Parabéns.
    abraços

    ResponderEliminar
  8. Querido Vicktor cuidado com a nossa possível competição nas fotografias sobre a natureza (e não só):):):)
    Confesso que não tenho nada "olho clínico"...Para isso há os dotados e tu és um deles!
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  9. Querido Carlos até lhe dou um, o que por tradição me trará a mim também sorte, basta dizer para onde.
    Mas está assim tão precisado dela?:):):)
    Beijinhos sem embrulho para si!

    ResponderEliminar
  10. Querida Fátima, a disposição está em alta. Eu falo com tudo...inclusivamente com pessoas:):):)o que às vezes é muito difícil!
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  11. Querida Magy palavras certeiras... E os trevos vão-se sempre renovando, é obrigatório!
    Beijinhos sem embrulho para si!

    ResponderEliminar
  12. Querida Calendas eu também falo com cães, com os de casa da minha filha, "netos" por adopção (eu é que fui adoptada), com os cães de uma vizinha, um deles anda sempre atrás de mim aqui na aldeia, de tal modo que muita gente pensa que ele é meu. Falo com os patos do vizinho, enfim devo ser conhecida pela "tontinha da aldeia".
    Na verdade eles olham atentamente para mim, "alguma mensagem" lhes deve chegar.
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  13. Querida Anira não é a única não... eu até com as rochas falo!
    Há dói-dóis que saram rapidamente, os meus sararam, felizmente!
    Beijinhos sem embrulho para si!

    ResponderEliminar
  14. Querida C*inderela os meus trevos estão à sua disposição! Toca a pensar positivo, o tempo é que nos dá a volta e a ele próprio também.
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  15. Querida Lis os bons fuidos são sempre muito bem recebidos.
    Música, livros, plantas...são um excelente complemento para aconchegar o meu ninho!
    Beijinhos sem embrulho para si!

    ResponderEliminar
  16. Foi aqui que disseram que havia trevos? Manda um pra cá, ó filha!

    beijinhos de Mila

    ResponderEliminar
  17. Bem a foto está bem nítida o que já é um começo, mas tem um problema, tem demasiadas coisas na composição! Assim o nosso olhar distrai-se olhando o todo, em vez de se concentrar nos trevos!:)) Espero mesmo que lhe tragem sorte!
    Estou admirada de ainda não ter dadso a sua opinião sobre quem mais tiros dá nos pés? Os bispos, os jornalistas, ou os leigos? Convém ler a postagem completa e até os comentarios, antes de responder, assim ficará mais esclarecida, sobre este assunto!
    beijinhos missixty

    ResponderEliminar
  18. Tudo muito lindo mas para a próxima falas aqui com a Red Maria!

    ( e vê se lês mas é aquilo que te escrevo noutros sítios )

    ResponderEliminar
  19. Maria Teresa
    Quem acredita nos outros, acredita a vida inteira. E às vezes magoa-se. Mas há sempre trevos na nossa vida, não é?
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. Não me apercebi que estavas "um pouco menos"... Nem nunca me apercebi que tinhas trevos de quatro folhas... Amanhã vou já arrancar um para mim :) Beijinhos sortudos!

    ResponderEliminar
  21. Querida Pitanga aqui vai um...Chegou?
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  22. Querida Susana continuo a ser uma nódoa a tirar fotografias quis brincar convosco, os meus fotógrafos de eleição.
    Deste pela minha falta nos comentários? Que bom! É sinal que percebeste que o que eu digo é sentido.
    Uma série de compromissos meus tem-me roubado tempo para fazer a "ronda" diária. Hoje penso pôr essa tarefa agradável em dia.
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  23. Querida Red andamos com as linhas cruzadas, ontem li e escrevi. Parece que houve "desencontros"
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  24. Querida Teresa é isso mesmo, mas custa sempre um bocadinho... O que vale são os tais trevos...
    Beijinhos sem embrulho para si

    ResponderEliminar
  25. Querida Ana Rita há 35 anos que sou tua mãe, sabes que consigo disfarçar "muito bem" quando estou "menos bem" e o dia era especial para ti.
    Quanto aos trevos eu sei e tu sabes (pareço a outra) que tenho um jardim muito diferente do teu, que é amplo e despojado, o meu é tipo floresta como os teus filhos gostam (aprende). Reconheceste ao menos o local onde está este vaso pendurado, para poderes colher um?
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  26. Olá Maria!
    Por vezes é mesmo preferível falar com algo que não nos ouve e que não nos fala, assim temos mais espaço para o nosso egoísmo, que também é preciso!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  27. Querido JP és capaz de ter razão ... mas é pena termos que fazer isso!
    Beijinhos sem embrulho para ti!

    ResponderEliminar
  28. Cheguei ao Beijinhos Embrulhados pela "mão" do nosso amigo Mwata, do blogue "Conversas Daqui e Dali".
    E já me diverti, já ri, enfim, foi uma bela descoberta! Só com uma coisa não concordo: falar com trevos?! Não, não!
    Abraço e vou voltar.

    ResponderEliminar
  29. Nem me a-trevo... a ser trevo... mas um travo de frustração me atravessa a alma...

    1 trevo embrulhado

    ResponderEliminar
  30. Querida Teresa teve um maravilhoso e gentil cicerone! Que bom tê-la aqui neste cantinho que passou a ser também seu.
    Vou contar-lhe um segredo, eu não falei com o porta-voz dos trevos, ele é que falou comigo:):):)
    Beijinhos sem embrulho para si!

    ResponderEliminar
  31. Hummmm!
    No sábado deves ter bebido uns copitos a mais, daí tudo o que se seguiu. Até viste trevos de 4 folhas...
    Cuida-te, olha o fígado...
    :-)

    ResponderEliminar
  32. As pessoas muitas vezes acham que nos estamos a queixar de barriga cheia, e que os nossos motivos de tristeza não têm razão de ser. Acho tudo isso uma parvoíce, nós não mandamos nas nossas tristezas, podemos é mandar um pouco na forma como vamos saír delas. Penso também que todas as pessoas gostam de ter um ombro para desabafar, e todas as pessoas merecem isso (um amigo verdadeiro), é pena é que as pessoas não saibam ouvir os outros, só queiram ser ouvidas. Detesto isso! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  33. Ah! Adorei a foto, está linda. Bj.

    ResponderEliminar
  34. Eu acho que algumas pessoas são muito egoístas, só vêem os próprios problemas, infelizmente eu sei o que é isso, tenho uma amiga que só fala e não ouve. Todos temos os nossos problemas , todos têm a sua importância.
    Espero que já esteja bem melhor.
    Bjocas
    Patty

    ResponderEliminar