sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

NAMORISCANDO

Os menos jovens conhecem este tipo de postal, eu já não o usei, mas conheço-os bem, tenho uma boa vintena em meu poder, uns mais interessantes do que outros, todos pertença de familiares muito próximos.
Este do qual penso que só devo mostrar o “direito”, o outro lado é muito mais pessoal, foi dirigido à minha avó materna que nasceu a 2 de Março de 1893. O autor da escrita foi um pretendente “à sua mão”, que nunca lhe foi dada, ele não foi o meu avó.
Eu adoro observar a letra e o texto faz-me sorrir…
Que sonhem os românticos! Ainda há homens românticos? Mulheres há muitas…

28 comentários:

  1. É tudo bonito, desde o postal, à letra... vai dançar comigo? Mil saudades... Eu quero acreditar que o romantismo não morreu, mas que anda um bocadinho doente, anda!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá,
    bom eu quero acreditar que não morreu, porque o amor é uma das coisas mais lindas que há no mundo.

    Te add nos blogs para 'seguir' ;)

    beijos.

    ResponderEliminar
  3. ...Estes postais, a caligrafia, o texto...são o máximo! Eu concluo que há homens românticos, sim...cabe-nos a nós, mulheres, sabermos [ou querermos] "puxar" por eles...;) Beijo Grande

    ResponderEliminar
  4. Que interessante lembrança...
    Gostei
    Bjs
    Andresa

    ResponderEliminar
  5. Acho que ainda restamos alguns. Gosto particularmente de usar esse método que hoje chamam de snail-mail.

    ResponderEliminar
  6. Olá querida Maria Teresa,
    eu acredito que o romantismo não morreu, que tudo leva o seu tempo, que as pessoas precisam de acreditar no amor, naquele que faz com que os pés não toquem no chão, que as mãos estejam sempre frias, que as palavras não queiram sair na sua perfeição enquanto são proferidas.

    O postal é de uma beleza sem igual, é uma verdadeira memória que merece ser eterna para as gerações futuras.

    Com carinho e ternura
    Abraço doce
    Sairaf

    ResponderEliminar
  7. Sherlock Holmes investiga!
    Nos "joelhos da menina" aparece a data 1-9-10, que tudo leva a crer se trata de 1 de Set. de 1910. (Curiosamente a própria data reproduz o ano. Repararam?)
    A avozinha teria então 17,5 anos e mais um dia!
    Era portanto um borracho, como já sabemos de há 2 posts atrás.
    "O Zé do Chapéu" portanto não era parvo nenhum!
    Pelo vistos "atacou cedo" demais e isso foi-lhe fatal. Outro, mais calmo e sabendo escolher melhor o momento M, acabou por colher o fruto!
    Foi o teu avô.
    Foi daí que nasceu o conhecido ditado: "guardado está o bocado para quem o há-de comer".
    Com os cumprimentos deste, que hoje se assina,
    S.H.

    ResponderEliminar
  8. Errata!
    No meu comentário anterior onde está que a idade era de "17,5 anos e mais 1 dia" devia estar "17,5 anos e menos 1 dia".
    Sherlock raras vezes se engana, mas um vez ou outra lá acontece. :-)

    ResponderEliminar
  9. Até esta hora em que comento, curiosamente... apenas comentaram mulheres!! rrrrsssss
    Eles escondem-se....rrrssss
    Claro que há homens românticos! Onde...é a grande questão! :))

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que cada que passa existem menos homens românticos e é uma grande pena! Acho que o amor devia ser alimentado de gestos de amor mas também destas pequenas surpresas! Adorava receber uma carta de amor, com versos! Sou uma romântica incurável!Lol
    Beijocas

    ResponderEliminar
  11. "Mil saudades do cunhado"??!! É tipo "quanto mais prima mais se lhe arrima". Grande confusão que para aí ia, lol

    ResponderEliminar
  12. Já não há homens como antigamente! O meu mesmo assim, às vezes, ainda me surpreende com um raminho de rosas, nem que sejam apanhadas do jardim! Mas só quando o rei faz anos!!! :) Beijinhos românticos!

    ResponderEliminar
  13. Cartas de amor...
    Tenho a colecção de cartas que o meu pai escreveu à minha mãe quando namoravam. A minha mãe quis desfazer-se delas num momento menos bom, eu pedi-lhe para as guardar (sem as ler) e ela, um pouco contrariada, lá deu autorização...
    Pode parecer estranho, mas acho que fazem parte do património dos afectos da família e seria uma pena que se perdessem para sempre.

    *beijinho

    ResponderEliminar
  14. MEUS QUERIDOS: NIRVANA, BEA, TELA, ANDRESA, MAGIA, SAIRAF, CARAPAU, EVA, SONHADORA, CALENDAS E ANA RITA esta história não é assim muito “linear”, por isso não publiquei o “avesso” do postal.
    O “malandreco” que enviou este postal à minha avó era namorado de uma irmã dela, estava a tentar jogar com uma dupla… namorava uma e tentava seduzir outra. Devo informar-vos que o Sr. Castro foi “à vida”…
    E se vos disser que vieram ambas a casar com o mesmo homem (o meu avô) acreditam? Já era sina…

    Eu é que sou sexagenária mas o Sherlock dá alguns sinais de idade serôdia, primeiro não sabe subtrair, depois não espiolhou tudo, não viu o que se via bem, escrito no casaco, depois fala nas fotos que viu anteriormente, onde não está a minha avó, por sinal uma linda senhora, que um dia vos hei-de mostrar.
    A Calendas superou o mestre…

    Obrigada pela vossa presença aqui… e pelos vossos comentários.
    Beijinhos embrulhados para todos em papéis de todas as cores. Sirvam-se!

    ResponderEliminar
  15. Querida Arisca penso exactamente o mesmo. Tenho um postal que o meu pai escreveu à minha mãe, ele tinha-se ausentado uns dias por motivos profissionais, a perguntar como é que ela se sentia e como estava "eu", o postal foi escrito um mês antes de eu ter nascido... Tenho que ver se o encontro para o partilhar convosco.
    Falarem amorosamente de "nós" antes de nascermos, dá-nos uma segurança "infinita".
    Beijinhos embrulhados para si em papel da cor do seu sofá.

    PS- Já adquiri "A vida em surdina"

    ResponderEliminar
  16. Obrigado Maria Teresa, por partilhar tão valioso tesouro connosco!
    ...
    Bjs, dos Alpes.

    ResponderEliminar
  17. Eu ainda não sei se sou romântico; mas gostava muito do Tony de Matos...

    ResponderEliminar
  18. Querida Flor nem sabe a felicidade que me dá mexer neles, dou por mim muitas vezes a sorrir e a sonhar, com "eles" nas mãos...
    Beijinhos embrulhados com papel da cor dos seus poemas

    ResponderEliminar
  19. Querido Pinguim, cartas de amor, quem as não tem? Pedaços de dor...
    Beijinhos embrulhados em papel transparente

    ResponderEliminar
  20. A menina foi injusta em dois pontos:
    1º- Fiz bem as contas, mas escrevi mal, daí que tenha emendado.
    2º- Alguém me subtraiu a famosa lupa que é minha arma de eleição e sem ele não vi o que está na manga do casaco (o sujeito já nessa altura tinha jogo escondido na manga). Portanto, por falta da arma, passou-me esse pormenor.
    Quanto à foto não ser a da senhora tua avó, foi de facto ERRO meu. (Mas como quem sai aos seus não degenera a conclusão de que se tratava dum borracho, continua certa). qed
    SH

    ResponderEliminar
  21. Se clicar sobre a fotografia, o menino não precisa de lupa...
    O que é o SH? Segredo ou podemos saber?

    ResponderEliminar
  22. Ainda mais uma explicação: o Sherlock é do tempo da lupa e portanto não sabe desses truques modernaços de clicar nas fotos para ampliar. Outros tempos, os mesmo amores.

    ResponderEliminar
  23. Querida Maria Teresa

    Esses postais são um encanto... contam a parte romântica duma época que nos parece tão distante, em resultado dos acontecimento, da evolução da sociedade e das tecnologias dos últimos 50 anos...

    Sem dúvida que as estórias que contam são suaves, românticas...

    Mas há todo o outro lado da questão... ainda estavamos em Monarquia... as mulheres começavam então a lutar pelos direitos de serem consideradas como seres humanos de pleno direito...

    E foi dura a luta...

    As palavras eram muito bonitas e românticas... e quantas vezes escondiam o desejo de escravizar...

    Hoje sinto-me livre para ser romântico porque as mulheres também são livres de escolher o seu caminho...

    Um beijinho grande.

    ResponderEliminar
  24. E também consumia cocaína que lhe embotava os sentidos ou os avivava, isso "je ne sais pas".

    ResponderEliminar
  25. Quem está embotada sou eu, SH? Estúpida! Não relacionei as iniciais. Vou até ali bater com a cabeça na parede...Irra! Doeu p´ra burra!

    ResponderEliminar
  26. Querido Vicktor excelente comentário/testemunho.
    Obrigada!
    Beijinhos embrulhados em papel colorido com a cor das tuas flores.

    ResponderEliminar
  27. Acho que ainda há homens românticos, poucos mas há. O problema é que não gostam de demonstrar em público :P Mas a tradição das cartinhas de amor é que foi substituida por mails e mensagens que de romântico não tem nada.

    Que bela recordação ;)
    Bjokas*

    ResponderEliminar
  28. Querida C*inderela os tempos também mudaram e a emancipação da mulher trouxe alguns preços a pagar. Mas podemos "educar" os nossos homens...ó se podemos! Com umas pitadinhas de sedução (se for mais que umas pitadinhas não faz mal nenhum, pelo contrário...).
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar