segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

VAIDADE

Já todos ouvimos falar nos 7 pecados mortais: Inveja, Ira, Vaidade, Preguiça, Gula, Avareza e Luxúria , eles fazem parte do nosso quotidiano. Estão directamente relacionados com as nossas pequenas fraquezas, com os nossos “dramas” e, também com o nosso humor, acredito que muitos de vós não os cometeram, eu já cometi alguns, com pouca gravidade é certo.
Vou dar-vos a oportunidade de me julgarem…


Nunca gostei de casacos ou outras peças de vestuário providas de capuz mas fui tentada, já há alguns anos, pelo casaco das fotos. É uma peça de vestuário que se pode vestir dos dois lados, a parte negra é impermeável, a outra é de pele sintética.
Quando o vestia, com a parte negra para fora, fi-lo sempre sem puxar o capuz para a cabeça, sempre me serviu como sobre-capa até que um dia…
Ia ao cabeleireiro e como o cabelo estava por arranjar, decidi colocar o capuz, em frente ao espelho. Coloquei-o de uma maneira que considerei chiquíssima, senti-me maravilhosa porque este não ficou agarrado à cara, ficou solto, senti-me como uma dama dos finais do século XIX, romântica, lânguida, sensual, desejada, …

Assim equipada ( bem “armadilhada”), saí de casa e caminhei imponente a pé e opada de VAIDADE, até ao meu destino…encontrei pessoas conhecidas pelo caminho, caminho esse que é uma avenida e uma estrada de cidade, com as quais fui trocando uns tantos ou quantos cumprimentos, uns tantos ou quantos “agradinhos”, entre os quais: “que casaco maravilhoso!” Tive a sensação que estava a fazer “furor” e estava!
Chegada ao cabeleireiro e despido que foi o casaco, com a ajuda da recepcionista, eis que se detecta, que ia etiquetada… na base do capuz ainda estava pendurada a etiqueta ENORME identificativa do produto e respectivo preço… lá se foi a minha imodéstia por água abaixo…
Ri-me perdidamente e imaginei-me no lugar dos passantes que me viram de costas, e do que deviam ter pensado e até comentado, o que eu comentaria no lugar deles…
*******
E ao descrever esta cena, recordo de Nicolau Tolentino (1740/1811) o soneto que decorei em
adolescente:

O colchão dentro do toucado

“Chaves na mão, melena desgrenhada,
Batendo o pé na casa, a mãe ordena,
Que o furtado colchão, fofo e de pena,
A filha o ponha ali, ou a criada.

A filha, moça esbelta e aperaltada,
Lhe diz co'a doce voz que o ar serena:
"Sumiu-lhe o colchão, é forte pena;
Olhe não lhe fique a casa arruinada."

"Tu respondes-me assim? Tu zombas disto?
Tu cuidas que por ter pai embarcado,
Já a mãe não tem mãos?" E dizendo isto,

Arremete-lhe à cara e ao penteado;
Eis senão quando (caso nunca visto!)
Sai-lhe o colchão de dentro do toucado.”

É espantoso como este soneto se pode transportar para a actualidade…a crítica a tudo o que é secundário, a critica feita de um modo satírico à VAIDADE…
A VAIDADE é enganadora e efémera… E eu snif, snif, estou a fingir que estou a chorar, cometi (continuo a cometer), um terrível pecado a… VAIDADE

48 comentários:

  1. Minha querida Maria Teresa;

    Mais uma vez imprevisível nos textos! Ri-me tanto que fiquei com os maxilares doridos! (Sua "louca!) :=) Obrigada pelos momentos que me proporciona.
    Tenho um miminho no meu blogue para si, e faço questão que o aceite! Sim?!
    Beijinho e abraço apertado*

    ResponderEliminar
  2. Brava!!!

    Muito bem, Maria Teresa!
    Adorei. A vaidade tem destas coisas, mas o nosso Ego é o rapazito que precisa de ser bem alimentado. Mesmo que às custas de uma gargalhada a jusante.

    ResponderEliminar
  3. Cena 1: uma cadeira em frente ao fogão de sala (ou lareira se gostarem mais). O vestidinho escarrapachado na mesma. O clik da máquina e agora vira e repete...
    No passeio triunfal ao cabeleireiro estou a "ver a cena": "Bom dia setôra, lindo casaco". E uns segundos depois voltando-se para trás e vendo a etiqueta: "Chiça! Tá cara a setôra!"...
    Pecados capitais (gosto mais que mortais): uso uma pitadinha de todos e reforço a dose no último.
    O colchão dentro do penteado: ri-me. Nos meus tempos de menino e moço fui obrigado a decorá-lo para o recitar na aula de português.
    E "em verdade vos digo" que sem VAIDADE, sem ter INVEJA dos outros que o disseram melhor, depois de o ter decorado sem PREGUIÇA e sem IRA para com a professora que me obrigou a isso, e sem AVAREZA de palavras, lá disse o soneto, olhando com alguma LUXÚRIA para a professora, que era um borracho, pelo qual sentia uma certa GULA.

    ResponderEliminar
  4. Querido Disse, eu alimento o meu Ego e bem, mas nunca o pensei como um rapazito que trouxesse dentro de mim, já trouxe outro mas expulsei-o ao fim de 9 meses (quase 10, um horror!)...Gostei da analogia!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  5. Querido Carapau, estou farta de rir, rir às lágrimas...e a culpa é tua!
    Vou tentar falar em todos os pecados a que chamo mortais, porque foi assim que aprendi, mas vou rever a situação, saber o porquê da alteração do nome, a não ser que me elucides.
    Espero que os restantes que vou confessar também sirvam para momentos de risada...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  6. Já depois de ter lido o teu comentário ao meu comentário pus-me a pensar em "pecar". Pecar está associado a prazer, a gozo. Nem haveria "pecado" sem haver uma "contrapartida". Assim sendo aqui vai a minha classificação de acordo com a escala do prazer.
    1-Luxúria; 2- Preguiça; 3-Gula; 4- Vaidade.
    Quanto aos outros 3 não consigo vislumbrar nenhum gozo. Ainda admito que a Avareza o possa ter para os avarentos, mas na Ira e sobretudo na Inveja não descortino nada.
    Outras pessoas farão outra classificação. Aqui fica um tema para explorares.
    Já agora uma informação: de Avareza, Ira e Inveja não tenho nem um bocadinho (ainda bem que a Mentira não é capital :-))

    ResponderEliminar
  7. Procuremos desenvolver entre nós o amor fraternal e estimulemo-nos a fazer o bem...animemo-nos uns aos outros...”

    Feliz Ano Novo!

    Beijinhos

    Pj

    ResponderEliminar
  8. Que bom reler aquele fabuloso poema de Tolentino...
    Sobre a vaidade, e sem estar a mentir absolutamente nada, sou tudo menos vaidoso; até devia ser mais cuidado com o que visto, mas estou-me nas tintas...
    Mas sei bem o que é ser vaidoso: o Déjan é adorávelmente vaidoso, ou não fosse ele Leão...

    ResponderEliminar
  9. Querido Pjsoueu e nada de cometermos pecados mortais (capitais)!
    Obrigada pelos votos e animemo-nos... O ânimo é essencial à vida!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  10. Este seu post veio mesmo a calhar! É que eu estou a fazer um trabalho para Desenho sobre os 7 pecados capitais.
    Isso de ter a etiqueta ainda na roupa nunca me aconteceu, mas aposto que se me acontecesse eu iria rir imenso!
    Tem uns selos no meu blog :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  11. obrigado
    Beijinhos querida Maria Teresa:)

    ResponderEliminar
  12. Eu se visse alguém com um casaco desses com a etiqueta no capuz, comentava "olha aquela armada em chique, deve ter roubado o casaco!" Pronto, é desta que sou deserdada! A VAIDADE fica-te bem e faz bem ao ego! Beijinhos vaidosos!

    ResponderEliminar
  13. Querido Pinguim, vá lá! Não cometeste o pecado da mentira ( que não é mortal/capital), foste honesto. Estou a brincar contigo, aliás a preguiça hoje atacou-me e ando a brincar com o computador.
    Obrigada pelo teu comentário! Um pouco de vaidade não faz mal a ninguém por isso dou os parabéns ao Déjan.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  14. Querida D* espero que o trabalho saia magnífico!
    Obrigada querida vou ver mas só o publico no fim-de-semana, ok?
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  15. Querida Ritinha vou pensar muito a sério no caso das heranças... possivelmente vou mesmo deserdar-te...Estou toda a noite com a telha por tua causa...aqui, como quem não quer a coisa, insinuas que sou ladra e incitas-me a ser vaidosa... Devias ter escrito as palavras mágicas: "O casaco fica-te muuuuiiiitaaaa bem!"
    A tua filha diria: "a avó está fantástica!" Tens muito que aprender com ela!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  16. Olá querida Maria Teresa!!
    Adorei o casaco com ar de tigresa,o melhor é que são dois em um.
    Um pouco de vaidade nunca fez mal a ninguém.
    Dos 7 pecados mortais o que me vão persegui até ao fim da vida serão a vaidade e preguiça, irra!!!
    com ternura e admiração
    Sairaf

    ResponderEliminar
  17. Olá amiga Maria Teresa

    Excelente texto, adorei naturalmente, mas o que me trouxe aqui hoje em especial é agradecer-lhe as suas palavras e retribuir os votos de boas Festas que o ano de 2010 lhe traga tudo de bom.

    Feliz 2010
    beijinho
    António Gallobar

    ResponderEliminar
  18. Querida Sairaf quem confessa os seus pecados é perdoado...Ih!Ih!Ih! Tem é que cumprir penitência: dar uns beijinhos no menino de olhos bonitos, por exemplo...
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  19. Querido António não tem que agradecer são votos sinceros aos amigos sem rosto.
    Obrigada!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  20. Querido Opinião muito obrigada!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  21. Maria Teresa,

    Belo texto... as palavras exactas, mortiferas, com a subtileza de quem sabe contornar os mais dificéis obstáculos!
    Excelente a tua escrita!

    Beijos
    AL

    ResponderEliminar
  22. Querido A.S. vindas de ti, da pessoa que és, as palavras do teu comentário honram-me. Obrigada!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  23. Obrigado amiga pela visita...
    Sua postagem está linda, fala sério heim!!!
    “Desejo a você: Um feliz ANO NOVO… 365 dias de felicidade;
    52 semanas de saúde e prosperidade;
    12 meses de amor e carinho;
    8760 horas de paz e harmonia;
    Que neste novo ano você tenha 2010 motivos para sorrir…”
    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  24. Olá, Maria Teresa!

    Excluindo a etiqueta, até lhe ficava "au point"! Seria para continuar a usar!

    Engraçado soneto, que desconhecia, mas tudo que fica bem e torna alguém belo, não será, nunca, lúxuria!

    Um beijo,

    Renato
    (Porto-Portugal)

    ResponderEliminar
  25. Querida Sereia, sabe lidar muito bem com números, como professora de Matemática, embora não tivesse confirmado o número de horas, classifico-a de Muito Bom!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  26. Querido Renato eu continuo a usar o casaco e até me fica bem, reconheço-o.
    Luxúria para mim não tem o significado que me parece que lhe está a dar!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  27. Minha querida Maria Teresa,

    Quem nunca cometeu o pecado da Vaidade que "atire a primeira pedra"...
    Agora o maximo foi voce andar como que estivesse á venda!!!!!
    Na nossa vida sempre existe uns episodios fantasticamente engraçados!!!
    Pra si desejo um maravilhoso Novo Ano!Que lhe seja ofertado tudo que mais desejar,minha querida!

    Bjinho cheio de luar

    ResponderEliminar
  28. Querida Moonlight tenho prazer em guardar na "caixinha das recordações" tudo o que de bom me tem acontecido na vida, entre isso estão episódios divertidos como este. Sou alguém que ri de si próprio, que fala sozinho a insultar-se quando faz "burradas", que se elogia quando ultrapassa obstáculos,...
    Muito obrigada pelos votos formulados eu aceito-os e retribuo-os com o mesmo carinho.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  29. LOL, Adorei a sua história, com um final surpreendente, como sempre...

    A vaidade, nestes casos já não deve ser considerada pecado mortal...Aposto que lhe ficava "a matar"!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  30. Desculpa-me Teresa mas ainda estou a imaginar a cena.
    Devo-te dizer que ías super chic, estou a falar a sério!

    Beijão.

    ResponderEliminar
  31. Mordaz e satírico...a Vaidade q.b. (pelo exemplo apresentado) não me parece 1 Pecado Mortal...é sentir-se bem, é auto-estima! Adoro as capas de época, com grande capuz amplo, super-coquettes! Segredinho: se soubesse as vezes que já saí com a etiqueta na roupa, o preço nos sapatos, casacos do avesso e mal abotoados...:)) Só porque sou distraída! Beijo desembrulhado

    ResponderEliminar
  32. Querido Tio, a capa ficava e fica a "matar" usei-a na Noite da Consoada! Tem um pequeno contra é um pouco pesada.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  33. Querido Ergela podes rir à-vontade, eu ainda hoje me rio da cena que fiz, e já se passaram uns anos. Sim porque as minhas roupas duram, duram, duram como as pilhas, são intemporais.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  34. Querida Tela e ficamos com um ar tão romântico!
    Essas suas "saídas" com etiquetas postas, fez-me lembrar outra cena, passada com o pai dos meus filhos e vai dar tema para um post.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  35. Ah, isso já me aconteceu...mais ou menos. E não houve uma alma caridosa a avisar do facto?

    Bjokas

    ResponderEliminar
  36. Olá Teresa!

    Vaidade? mas quem a não têm? desde que seja moderada como é lógico. Quem não já saiu à rua e a pensar: hoje estou o máximo!!! é bom por vezes sentirmos o nosso ego bem ao de cima! Quanto a etiquetas à mostra? ainda na semana passada me aconteceu!!!
    Obrigada pela visita, como sempre amorosa!
    Um excelente ano 2010!
    Beijinhos "novos" e embrulhadinhos!

    ResponderEliminar
  37. Imperdoável!

    o soneto é lindissimo!!!!

    Adorei!!!!

    ResponderEliminar
  38. Querida Anira, claro que não...caso contrário eu não tinha percorrido todo o caminho etiquetada Lol.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  39. Diariamente peco pela preguiça. Acho que não houve um único dia na minha vida em que não me tenha custado sair da cama, quer tenha dormido 2 ou 10 horas. Shame on me....... Beijinhos e feliz 2010!!!*

    ResponderEliminar
  40. Querida Canhota obrigada pelas suas gentis palavras.
    O soneto é divertido, reflecte uma crítica satírica à sociedade da época. Temos imensos poetas bons e com muita obra mas, muitas vezes, esquecemo-nos deles.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  41. Querida Adek então esteja atenta ao que eu escrever sobre a preguiça...
    Obrigada pelos votos e coma pinhões!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  42. olá,
    essa situação é (foi) hilariante, ahahaha =P
    gostava de ter visto! ;)

    kiss

    ResponderEliminar
  43. Querida Pinkk espero que "tudo" esteja a melhorar, ainda bem que a fiz rir,...
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  44. Já me ri um bocado a imaginar o passeio, e imagino que se deve ter rido bastante também.
    E ninguém disse nada?
    Este ano, nas férias, vi um casal com um bebé pequeno, em que a senhora levava a túnica do avesso. Armada em esperta, resolvi voltar para trás e dizer-lhe. Ela virou-se para o marido e armou uma discussão porque ele não reparava nela, etc, etc, e eu fiquei de boca aberta a olhar! Mas mesmo assim, se visse, era capaz de dizer alguma coisa.

    Conseguirmos rir de nós próprios é uma grande qualidade.

    Já saí de casa com um sapato preto e outro castanho, e já me estatelei ao comprido ao descer umas escadas em que queria fazer uma grande figura... acabei de nariz no chão.

    Vaidade? Confesso, é pecado que mora por aqui. Mas não acho que seja grande pecado. Vaidade é uma coisa, narcisismo é outra, digo eu.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  45. Querida Nirvana claro que ninguém disse nada, caso contrário eu deixava de ir etiquetada.
    Há situações realmente hilariantes para quem as vive, esta foi uma delas.
    Para ver quedas, veja uma minha no seguinte endereço: http://www.beijinhosembrulhados.blogspot.com/2009/08/macaca-ou-macacadas.html
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  46. Querida Maria Teresa

    Que estória deliciosa connosco partilhaste, estória vinda, por certo, do teu riquíssimo baú de memórias.

    Quenato ao Tolentino, os génio são assim, intemporais no que escrevem... ou será a sociedade humana que é repetitiva nas suas fraquezs?

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  47. Maria teresa, peço desculpa pesta ausencia ...so agora cheguei ao seu blogue e a estes sete pecados mortais :) Começa bem isto...promete:) Ja me ri um bocadinho...julgo que tambem ja me tera acontecido o mesmo alguma vez(como ve os acentos continuam na mesma...). Por acaso, julgo que este pecado, nao partilho...de todo (se calhar ate devia ser mais vaidosa...enfim...) vou ler os seguintes...

    ResponderEliminar