terça-feira, 28 de dezembro de 2010

NON STOP

Há mais de uma semana que tinham combinado o dia e a hora em que iriam reencontrar-se, viviam longe um do outro mas a distância não era muito difícil de se transpor, não viviam ainda juntos porque os filhos dele acorrentavam-no, ele ainda não tinha tido coragem para falar nela.
Desta vez era ela que iria deslocar-se. Na véspera da partida, telefonicamente, confessou-lhe que se sentia um pouco inquieta, num desassossego que não fazia sentido. Ele acalmou-a com palavras ternas, assegurando que iam falar sobre o futuro próximo de ambos.
Na pousada onde ficou alojada, perto da hora combinada, ela sentia-se impaciente, uma certa ansiedade, causava-lhe as tais “borboletas no estômago” de que tanto ouvia falar. Procurou disfarçar essa ansiedade, sentando-se num dos sofás de uma pequena sala muito confortável, primorosa mas sobriamente mobilada, tentou descontrair-se observando o ambiente que a rodeava.
Faltavam cerca de 10 minutos para a hora marcada e ela pensava: “Virá! Não virá! Já tantas vezes faltou a encontros!”. Tinha esperança de que desta vez nenhum contratempo alterasse o combinado.
Como ela desejava ouvi-lo! Saber o que ele tinha decidido para o futuro dos dois.
Ouvia carros chegarem e partirem do parque de estacionamento, mas os sons nada lhe diziam, até que o coração acelerou um pouco mais, tinha que ser aquele, a hora era aquela…e na porta ele surgiu… a sala iluminou-se e o rosto dela também, não porque ele fosse um homem bonito mas porque é dono de um “it” que faz com que se olhe para ele num segundo olhar. Em sintonia dirigiram-se um para o outro, ele beijou-lhe a mão e ambos partiram pela noite dentro, numa viagem “não stop”, como estava combinado, através das ruas desertas da cidade, ao longo da margem do rio bem visível, num jogo de sombras e luzes. O rio estava lindo servindo de espelho à cidade idilicamente iluminada! A cidade mirava-se no rio!
Que bela cidade, que belo passeio! Ele falou muito, uniu histórias e tornou-as mais verosímeis. Ela estava feliz! Tão feliz! Recusava-se a ouvir todas as palavras. Sentia que aquele momento não era real, que o podia prolongar para sempre, ela desejava que se prolongasse, para tal bastava uma pequena frase, uma simples frase da parte dele mas que valeria mais do que um dote de ouro e pedrarias e aquele passeio tornar-se-ia um conto de fadas, em que “o princípe e a princesa” se encontram e são felizes para sempre…
Os minutos foram passando, entre eles não houve silêncios perturbadores!
A viagem “não stop” tinha que terminar, ela foi reconduzida ao lugar de partida, ele não ia ficar e ela não ficou surpreendida, estava como que adormecida, a frase: “fica comigo”, não foi pronunciada. Trocarem alguns beijos, beijos controlados, beijos de despedida… o “romance” terminava ali! O parecer dos filhos era superior ao amor que ele sentia por ela!
Nunca mais se voltaram a encontrar! Aquela foi a última vez que estiveram juntos e afastados num sonho em que o amor era a personagem principal…
A verdade inesperada circundava-a como se estivesse a ser violentamente abraçada, por braços de ferro, não por aqueles braços a que se tinha habituado, o coração rasgou-se no peito, sangrou, sangrou tanto, que hoje está vazio de sonhos, …!

56 comentários:

  1. Verdade ou ficção que importa?
    A mestria da escrita, a linguagem bem urdida, uma prosa fluente e verosímil, agarra o leitor do primeiro ao último instante!
    Rendo-me à evidência: está aqui uma grande escritora!

    ResponderEliminar
  2. Li até o final com o coração a bater descompassado. Há histórias que não têm, outro jeito de terminarem, ainda que a frase tenha sido dita. E foi.

    beijos para ti

    ResponderEliminar
  3. Final triste para um amor tão bonito... daí a inquietude, o nervosismo. O coração sabe sempre.

    ResponderEliminar
  4. Querido Rouxinol, como tantas vezes tenho dito, sou uma mera escrevinhadora que a idade tornou ainda mais romântica, mas com a nostalgia da quadra que atravessamos, "mato" os grandes amores...:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  5. Querida Pitanga a frase foi dita mas não a que ela queria ouvir!
    Sem dúvida que muitas vezes se passa ao lado de um grande amor, amores desencontrados fora do tempo e do lugar...
    A esperança é que outros amores podem surgir!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  6. Querida S* sem dúvida que sabe, há sinais que muitas vezes nos recusamos a interpretar:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  7. MARIA TERESA,um amor feito de renuncias é sempre
    inesquecível, pois é tido como o mais perfeito,o
    ideal, o que daria certo, o que nos faria muito
    feliz. Tudo isto porque não chegou a acontecer.

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Querida Paloma é bom conseguir-se renunciar ao AMOR por AMOR, mas deve doer muito...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  9. Puxa... que linda história de amor, adorei!! Mas gostava mais se eles ficassem juntos!!
    Não concordo com essa renúncia ao amor por amor! Ninguém tem o direito de impedir a felicidade de outrém! Quem ama, quer a felicidade do ser amado, sejam pais, mães ou filhos!
    Beijinhos embrulhados com muito carinho e votos de um Novo Ano replecto de sonhos concretizados!
    Um abraço muuuuuito carinhoso para si querida amiga Mª Teresa!!
    Feliz Ano Novo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  10. Nem todas as histórias acabam bem...aliá na vida real é muito assim.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Querida Céu nem todas as histórias de amor têm um final feliz, penso até que quase nenhuma, os que personalizam uma história de amor eterno, são mortais...
    Para a próxima escrevo uma com um fim menos "violento".
    Há renúncias por AMOR...conheço uma que tem uma justificação muito forte (não se a mais justa) para a "parte" que não fez nada para contribuir para esse desaire.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  12. Querido Carlos muito obrigada pelas suas palavras de apreço.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  13. Querida Lilá(s) esta história tem por base uma história real...adulterei-a um pouco...mas acabou com a separação das "personagens".
    beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  14. Um "Non Stop" comum a muito boa gente ;):)

    Beijinhos

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  15. Querida Maria Teresa,

    Fiquei emocionada com teu relato, linda!

    O nosso sexto sentido sempre nos avisa das coisas que nossos olhos ainda não conseguiram ver...e as separações, estas são sempre muito sofridas!

    Uma beijoca carinhosa,

    Neli

    ResponderEliminar
  16. Oi Maria Teresa...

    Que lindo blog!

    Aliás, já chego com uma história lindíssima... De entre tantas histórias, como se faz uma decisão? De que há de se formá-la? Gostei muito de sua escrita.

    Beijos

    Carla

    ResponderEliminar
  17. Nunca gostei da expressão "borboletas no estômago". É que as asas desses bichos são tão frágeis, os sucos gástricos davam cabo delas num instante.

    ResponderEliminar
  18. Querido Aflores há "non stop" e "non stop" este foi, na minha imaginação, lindo ... ao longo do rio Douro pela sua margem direita... que indescritível que é o espectáculo que este rio e as suas margens nos oferecem...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  19. Querida Neli basta um gesto, um olhar, uma hesitação no dizer de uma palavra e nós compreendemos mesmo que não o queiramos fazer...
    Este texto tem muito de ficcionado mas as minhas emoções estão lá...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  20. Querida Carla seja bem-vinda! Fico muito contente por ter gostado deste post, é uma história que tem bastante de ficção, espero que "romances" como este, na vida real, não acabem assim...:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  21. Querido Rafeiro eu calculo...tu deves gostar mais de andares a correr atrás delas e a assustá-las...:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  22. Não sei quem já disse que amor para ser Amor tem de ser infeliz.
    Gosto destas histórias que acabam "mal".
    Depois há a história dos filhos. É bem certo que os filhos, em certos momentos dão muito jeito :-)
    (P. ex. quando se quer dar com os pezinhos "delicadamente" em alguém).
    Bom ano de 2001 (com muitas histórias para contares).
    Bjo.

    ResponderEliminar
  23. Como já nos habituaste...uma bela historia de amor, não importa o final. é sempre uma bela historia d eamor
    kis BOAS ENTRADAS NO ANO NOVO

    ResponderEliminar
  24. Sei que não é contextualizado no post, mas aproveito para deixar um feliz ano novo com tudo o que deseja! Muitos beijinhos de uma blogger que nunca a esquece:)

    ResponderEliminar
  25. *
    Amiga
    ,
    que as vagas de 2011,
    te tragam um mar de saúde e
    marés de coisas boas (se possível)
    ,
    conchinhas de amizade,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  26. Eu também aprecio muito uma boa história que não acaba bem! E mais uma bela história de amor que a querida Maria Teresa partilhou connosco, à sua maneira!

    Eu direi sempre Execelente!

    Um beijinho do

    Renato

    ResponderEliminar
  27. Uma história de amor que vem comprovar a minha "teoria".
    O Homem é sempre susceptível de ser manobrado (como se pode verificar ao longo da História Mundial), quer pela mulher, quer pelos filhos, quer por qualquer outra pessoa que exerça influência sobre ele. É apenas necessário saber encontrar-lhe o ponto fraco.
    Tão simples, tão simples!
    Beijinho SEM embrulho.

    ResponderEliminar
  28. Querido Carapau é o que eu normalmente faço para afastar os meus inúmeros pretendentes, digo: o meu filho coitado morre de desgosto se eu patati, patatá, blábláblá...e pimba safo-me:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  29. Querida Avogi tenho que ir urgentemente ao doutor do coração...estou a ficar melaça com tantas histórias de amor a brotarem do meu cérebro:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  30. Querida Adek de vez em quando vou até ao seu sítio mas está "empencado" no dia 9...
    Um excelente 2011! Muito obrigada pelo seu carinho!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  31. Que linda historia de amor, tenho pena que tenha acabado assim. :(
    Bjocas

    ResponderEliminar
  32. Querido Poeta muito obrigada!
    Que 2011 te continue a trazer muita inspiração para nos deliciares com os teus belos poemas.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  33. Querido Renato são os teus olhares de amigo que te levam a escrever tão gentis palavras, muito obrigada!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  34. Querida Terezoca a tua teoria está certa!
    Tão simples, tão simples mas... tão complicado!:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  35. Querida Patty pense que a situação pode vir a mudar... "os filhos ao verem a falta de vontade de viver do pai,a sua decadência brusca e antes do tempo adequado, decidiram apoiá-lo, foram em busca dela, ao conhecê-la ficaram encantados com a sua ternura, com o amor que dela emanava, blá,blá,blá... e deu-se um reencontro"
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  36. "(...)Saber o que ele tinha decidido para o futuro dos dois.(...)" O final deste conto é o resultado do que acontece quando colocamos o NOSSO futuro nas mãos de outra pessoa!
    Todos nos emocionamos com os "Romeu & Julieta" da Era moderna, mas apenas na 3ª pessoa ;), para nós próprios, queremos, mesmo, Finais Felizes ;)))
    Beijos Desembrulhados...Querida MT!

    ResponderEliminar
  37. menina maria teresa, peço desculpa de "meter a foice em seara alheia" mas o Carapauzito está mesmo fora de prazo, leia-se, fora do tempo: "bom ano de 2001". Como disse, menino Carapau?!

    ResponderEliminar
  38. Mais uma belíssima e ternurenta história.
    Obrigado mais uma vez MARIA TERESA.
    FELIZ 2011
    Bjs
    G.J.

    ResponderEliminar
  39. Maria Teresa
    Adorei a sua história. Arrepiei-me ao ler estes desencontros. Quantas vidas deixam de se cruzar porque a sociedade assim o impede??? Talvez se as pessoas fossem mais despidas de preconceitos, houvesse menos depressões, infelicidade, pesadelos....
    É muito triste uma pessoa deixar de sonhar. É o mesmo que deixar de acreditar na vida, em si e nos outros!
    Adorei
    bjs

    ResponderEliminar
  40. Querida Maria Teresa, trocar amor, por amor... acontece tantas vezes, na nossa vida. Até nas coisas insignificantes!
    Verdadeira ou realidade, deixou-me um pouco triste, esta história.
    Beijinhos e Boas Festas :)

    ResponderEliminar
  41. Querida Tela não me lembrei do Romeu e Julieta, felizmente que não fui tão longe, não os matei...talvez ainda possa "remedear" e haja um reencontro daqui por uns tempos, pois a "história" não ficou "fechada"...pode mudar de "direcção":):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  42. Querida Terezoca este cantinho também é teu! Que seria dele sem vos ter desse lado?
    Não reparei nesse pormenor, ando muito distraída:):):)
    Mas fizeste muito bem em chamar a atenção ao Carapau, eu também lhe deixo um recado:
    Menino Carapau...anda muito distraído...o que se passa na sua caverna que não se saiba? Conte! Conte!:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  43. Querido Gaspar MUITO GRATA pelas suas palavras!
    Que 2011 lhe continue a conceder a capacidade de oferecer amizade e de conseguir deliciar os nossos olhos com a sua ARTE.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  44. Querida CF infelizmente as palavras que aqui deixei, tal como diz, traduzem uma situação ainda existente, que continuará a matar sonhos...
    Há no entanto o tempo, que pode ser inimigo ou amigo ... espero que em casos semelhantes ajude os protagonistas a superarem a dor e que os sonhos regressem...
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  45. Querida Manuela é uma história de AMOR triste um bocadinho ficcionada:):):)
    Mas acontece mais vezes do que devia,... amores possessivos, chantagens emocionais, pais que se deixam dominar por filhos egoístas e ciumentos, pseudo defensores de uma mãe que já não existe, há muito, no caminho do pai,... são tantas as razões que levam a situações como a descrita.:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  46. Tantas vezes a realidade e a ficção se confundem... É sem dúvida uma história muito bela, e cada vez aprecio mais a sua capacidade de embelezar o texto sem deturpar a mensagem!

    Bom ano e tudo de bom!

    Bjokas

    ResponderEliminar
  47. Querida Anira, às vezes pergunto-me: será que existe ficção?
    Obrigada querida gata urbana!:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  48. Escrevinhadora?!
    Discordo!
    O rouxinol tem toda a razão no que diz.
    Ao contrário do rafeiro, adorei a figura das "borboletas no estômago".
    Agora, porque uma borboleta da amizade aqui me trouxe, quero desejar-lhe um Novo Ano com tudo de bom.
    Em 2011 continuaremos, por certo, os nossos encontros.
    Abraço

    ResponderEliminar
  49. Querido Carlos um "Cavaleiro" como sempre...
    O Rafeiro está sempre do "contra", o que lhe vale é ser perfumado ...
    Claro que vamos continuar a encontrar-nos, se tivemos forças para vencer 2010, espero que essas forças dupliquem para vencermos 2011.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  50. E por aqui me quedo, esperançado que o 2011 te traga de volta o que deixaste fugir neste velho ano que se esfumaça no tempo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  51. Querido Akitoueu, a única coisa que conscientemente dei por me ter fugido foi o tempo...se alguma coisa fugiu, não fui eu que a deixei fugir...foi a "coisa" que o quis fazer:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  52. Querido Paulo muito grata!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  53. Querida Amiga, eu sei que não os "matou" (risos!). E, afinal, eu (também!) acredito em Recomeços - mas não em Continuações ;) Beijooo

    ResponderEliminar
  54. Querida Tela é mesmo isso no recomeçar...até o enxoval deve ser a estrear rsrsrsrsrs
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar