segunda-feira, 16 de agosto de 2010

A FAMÍLIA

Num dia, perto dos finais de Junho, a minha neta de 5 anos vinha ufana, nos braços transportava uma enorme pasta, maior do que ela se fosse colocada na vertical, onde vinham “armazenados” os trabalhinhos que fez durante todo o ano lectivo.
Fui agradavelmente “obrigada” a vê-los um a um. Fiquei surpreendida com a oferta do desenho que publico a ilustrar este texto e mais dois que, daqui por uns tempos, saberão para que me estão a servir.

A família que a pequenota conhece na actualidade é para além dos pais (como é mais do que evidente), o irmão, duas avós, um avô, duas tias, dois tios e dois primos. A família é muito mais alargada, mas por uma razão ou por outra, nunca a viram. Existem tios e tias bisavós, tios e tias avós e um tio, segundos e terceiros primos são às dezenas, a maior parte dos quais do lado materno ou seja do meu lado, uma vez que ela é filha da minha filha (lá começo eu a tentar-vos confundir com a “confusão” que é a minha família).

Que eu tenha conhecimento a maioria das crianças desta idade, quando instadas a representar a família, desenham apenas os pais e os irmãos e um ou outro familiar que coabite com elas. Nem eu nem o primo Quico coabitamos!

Sou uma avó muito orgulhosa…reparem quem ela retratou também…! Eu estou LÁ!!

Todos sabem que o desenho da família é um desafio que se faz , na escola, a quase todas as crianças e através dele psicólogos e afins, sabem avaliar o estado afectivo dela, a estruturação da sua personalidade, a dinâmica familiar, a maturidade psicomotora,…
Não sou perita no assunto, muito aquém disso, mas vou afirmar que neste desenho há algo que ela revela: extroversão, as linhas são amplas e ocupam uma boa parte da cartolina; impulsividade e audácia, o traço é forte; espontaneidade e "liberdade"; não desvaloriza nenhum dos “personagens” e não usa simbologias (tem animais em casa e não os retrata)…


Talvez desse lado, do lado dos que me lêem, haja alguém que possa ajudar-me a enriquecer este meu pouco saber sobre o assunto.

32 comentários:

  1. O curioso para mim é a forma como ela utiliza as cores: uma cor para o núcleo familiar mais importante (ela, a mãe e o pai); outra cor para a avó; uma mistura de duas cores para o irmão, sendo uma a mesma da avó; e finalmente uma cor diferente para o primo...
    Muito interessante!

    ResponderEliminar
  2. Adorei o desenho...desenha muito bem!
    E sim..parabéns!
    Depois..também gostava de ter umas dicas sobre o assunto, por legitimidade muito própria.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Querido Carlos B. de Oliveira e podia dizer mais umas coisinhas... mas tive medo de meter a foice em seara alheia e depois "pimba"... levar na cabeça!:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  4. Querido Pinguim é muito interessante olhar para ele, o movimento de dança está lá impresso, eu gosto muito de dançar e danço com eles, o tal meu "rebolanço", o irmão é muito disparatado a fazê-lo ela dança com "seriedade" e a mãe apenas observa... o que é real.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  5. Querida Autora os desenhos dizem muito sobre a criança e sobre as pessoas que a rodeiam, estudei um pouco sobre o assunto apenas com a curiosidade de mãe(no passado até comparei os desenhos dos filhos) e de avó ... mas gostava de saber um pouco mais...
    Para já fica aqui este testemunho, os dos meus filhos estão encaixilhados e expostos no meu quarto de Lisboa.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  6. Depois de "analisar" o desenho vinha aqui fazer o comentário e afinal o Pinguim já escreveu o que eu ia escrever. Fiquei desarmado...
    Claro que a leitura pode ter alguma coisa de "certo", mas também pode não ter. Os miúdos estão a desenhar em conjunto e a cor utilizada a cada momento é também a cor que nesse momento está disponível. Enfim..."filosofias" de adultos sobre coisas de crianças.
    Uma coisa é certa: a miúda gosta muito da avó, senão não a tinha "favorecido" tanto. :-)
    Parabéns pela "artista"!

    ResponderEliminar
  7. Querido Carapau tu desarmado? Essa é para eu rir? Então vou-me rir:):):)
    As leituras deste tipo, são muito subjectivas, então feitas por mim que sou avó da criancinha e uma nabiça na matéria.
    As cores foram escolhidas por ela disso há uma certeza, podem ter sido sem intenção mas foram.
    Claro que gosta! Tens dúvidas! Não estou uma "belezura" e muito parecida?
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  8. A mim parecem-me bailarinas, após um espectáculo em Bagdad...

    ResponderEliminar
  9. ô amiga, que lindo desenho! As crianças são assim, espontâneas, umas artistas! Pena que a espontâneidade se vai quando elas crescem! Tem que aproveitar agora, seus desenhos são sinceros. Tenho muitos desenhos da minha netinha quando tinha essa idade, dos meus filhos também. Eu sempre pedia pra eles desenharem bastante e guardava tudinho. Agora estou escaneando para dar de presente ao meu filho que vai fazer trinta. Minha filha já ganhou os dela e adorou! Bjsssss

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria Teresa,
    Gostei do desenho, e especialmente das cores alegres com que "desenhou" a familia...mas é tudo o que sei...

    Bjs dos Alpes (de novo)

    ResponderEliminar
  11. Querido Rafeiro e porque não hão-de parecer? Eu e os meus netos somos uns bailarinos de 1ª categoria, o mais disparatado a fazê-lo é o rapaz, deve ser por isso que está com uma perna no ar...:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  12. Querida Marli eu dos meus filhos também os tenho guardados, embora já sejam bem crescidos ainda não os quiseram levar as respectivas pastas para casa.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  13. Querido Padre confessor, voltou que bom! O Convento vai ser reaberto? Estou a precisar urgentemente de passar por lá!
    O mano tem aura mas não de santo, tem aura de diabinho, será que os diabinhos têm aura?
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  14. Querida Flor voltou! Para si talvez este "voltou" não seja tão alegre como o meu "escrito"foi!
    Com significado ou sem ele, eu gosto muito do desenho e o modo como me foi oferecido...
    Beijinhos embrulhados

    ResponderEliminar
  15. Querida amiga.
    Não sou psicólogo, no entanto atrevo-me a dizer que essa miúda já ouviu falar de seus parentes e, algo ficou no seu imaginário. As cores conjugam com as pessoas que mais lhes dizem respeito. Seu imaginário reflete-se nas conversas em família que a nós passa despercebido. Quando jóvem, aconteceu-me um caso que jamais me esquecerei. Entre colegas , havia uma colega cujos dotes de beleza eram pouco abonatórios. Com as conversas existentes entre nós e, o convívio depois, ela passou a ser a criatura mais bela que imaginávamos. tinha um coração de ouro e sempre uma palavra amiga para nos conformar. Longos vão os tempos que já não nos víamos e, há pouco tempo já com 70 anos, mantém entre nós a mesma beleza. A prespectiva ficou-nos gravada na memória.
    Desejo-vos uma boa semana.

    ResponderEliminar
  16. Quierida Maria Teresa.
    Grato pela passagem no meu espaço. Vou satisfazer a curiosidade quanto á flor lá publicada em que procurais o nome. É uma " Datura Metel " Já fiz uma descrição da mesma no meu espaço em Junho de 2009. Vai até lá e encontrarás outras bem bonitas, ascendentes destas. Aproveita e vai até ao blog do Bruno Rubus " Hortus Amoenus " Pois foi ele que me deu a sua classificação. Um abraço . João

    ResponderEliminar
  17. Olha o que eu iva a dizer já foi dito. a rapariga puxou o jeito para o desenho , mas parece-me uma família de personagens do fundo do mar ou místicas. bom jeito para o dedo (sim foi com o dedo que a rapariga desenhou. A técnica a digitinta. kis :)

    ResponderEliminar
  18. Quem sai aos seus não destoa da família.
    A menina sabe pintar e com muita certeza do que faz e do que gosta.

    ResponderEliminar
  19. Oi mariateresa
    Achei o desenho alegre , bailarinos e parecem leves a a bailar rsrs
    nao sei avaliar sob prisma psicógico , notei que ela desenhou o irmão num nível acima dos demais e deve ter algum respeito por ele, senão admiração.
    Como é gostoso guardar os desenhos das crianças !
    parabens pela netinha .
    abraços

    ResponderEliminar
  20. Minha querida
    Pelo que li e o desenho que vi, temos aqui uma avó muito babada.
    eu infelizmente ainda não tenho netos, embora tenha 3 filhos.


    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  21. Querido João não há dúvida que a beleza está nos olhos de quem vê... mas há a beleza não visível e essa é a mais importante.
    Obrigada pela tua informação, vem confirmar que a blogosfera é também um espaço que permite troca de saberes.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  22. Acho muito interessante as avaliações que os psicológos fazem através dos desenhos. E o desenho está muito bonito :)

    ResponderEliminar
  23. Querida Avogi de técnicas de pintura sei apenas o rudimentar. Foste-me útil aprendi que a minha neta sabe usar a digitinta:):):)Estou a rir-me mas não te estou a "gozar", tu tens o condão de me pores bem disposta (na verdade eu também não estava mal disposta, fiquei "mais bem")
    Sou uma avó babada e "disso" percebemos ambas muito bem...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  24. Querido Luís independentemente do desenho em si, o acto de me o oferecer agradou-me muito!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  25. Querida Lis o irmão tem mais três anos do que ela, andam sempre pendurados um no outro o que significa que nem sempre há gargalhadas, de vez em quando há amuos. Imita-o bastante mas nos disparates...:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  26. Querida Sonhadora uma avó babada? Babadíssima!
    Quando for a "sua altura", eles vão aparecer mas desejo-lhe que não sejam todos ao mesmo tempo, para poder gozar bem as diferentes fases do crescimento.
    Beijinhos embrulhados para si!

    Tenho tido dificuldades de acesso ao seu blogue, não sei porquê!

    ResponderEliminar
  27. Reparo, principalmente, no prazer de utilizar todas as cores e aplicando-as, talvez, em cada figura como a vê, no seu sentimento entre a cor e o personagem.
    Nem me arrisco a falar sobre a avó. Que imagino, perdidinha de orgulho (babadinha).

    bj...nho

    ResponderEliminar
  28. Querido Sérgio mesmo muito orgulho! Embora não seja "cega", gostava de os "ver" menos rebeldes.
    O que nos vale é que o equilíbrio surge sempre, para uma sensação "menos boa", vem outra muito boa a colocar os pratos da balança nivelados.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  29. Olá Maria Teresa!

    Fiquei deveras impressionado pelo equilibrio e pelos tons parecendo "destinados" a cada membro da familia!

    Tem "pinta" e "decifra" muito bem o traço que pretende na sua imaginação cuidada! Até soube separar o sexo masculino do feminino!

    E a AVÓ está lá!

    Parabéns!

    Um beijinho

    Renato

    ResponderEliminar
  30. Querido Renato agora é que eu ainda estou mais "babada". Muiro obrigada!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar