quarta-feira, 11 de julho de 2012

DECISÃO

(Continuação da INDECISÃO)
 Decidiu e, com a rapidez de um felino, trepou pelo muro que lhe estava perto. Rente ao lado interior deste e dos seguintes, chegou à quinta dela. Parecia um homem invisível, não fazia o mínimo ruído, não lançava odor, nenhum cão das vizinhanças acusou a sua presença. Os locais por onde se deslocava eram-lhe muito familiares, tinha-os memorizado ao milímetro. Na janela da sala por uma fresta de cortinados mal corridos, viu luminosidade, espreitando, observou-a bonita como sempre, sentada na poltrona de orelhas com um livro na mão.

Entretanto ela como não tinha conseguido chamar o senhor do sono, decidira continuar a leitura do livro que iniciara no dia anterior…mas as palavras que lhe passavam pelos olhos não lhe chegavam ao cérebro. Pensava na última conversa que tivera com ele sobre a suspeita, que passava de boca em boca na aldeia, de que por ali estavam a viver vários elementos de um grupo de terroristas muitíssimo perigosos, matavam quem quer que pudesse ser uma ameaça para a sua segurança. Ele não dera grande importância ao aviso, até lhe dissera que provavelmente andava a ler muitas histórias da carochinha, num local bucólico como aquele, essa suspeita não assentava.
Esta conversa tinha acontecido há quase oito dias e ela nunca mais tinha tido nenhum contacto com ele. Que lhe teria acontecido? Estaria zangado?

Ele para não a assustar, bateu levemente na vidraça, ela fez um gesto a indicar-lhe a porta e dirigiu-se  também para lá…Abriu-a e recebeu-o de braços abertos e ele disse-lhe: “Não digas nada, abraça-me apenas…” (sugestão da Pitanga Doce adaptada)
Abraçados entraram na sala e enquanto a conduzia abraçando-a com o braço esquerdo, apunhalava-a com a mão direita, e sussurrava-lhe ao ouvido: nunca deixo ninguém que me possa reconhecer ficar para trás e tu minha querida sabes de mais!

20 comentários:

  1. Alguns abraços fazem mesmo falta... e acalmam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida S* este abraço acalmou definitivamente:):):)
      Beijinhos embrulhados para si!

      Eliminar
  2. Ó poooxa Teresa, ainda vão dizer que fui cúmplice e sabia do crime. Até pensei em pedir direitos autorais pela frase, mas agora já não, que ainda me bate a policia à porta.

    Isto era pra terminar com eles se enrolando nas cortinas e fazendo um barulho que acordasse toda a vizinhança. Estou revoltada. E não era bem poooxa que eu queria escrever. Ups!

    PS: E o diabo é que esses gajos maus têm fama de que beijam bem. hehehe

    ResponderEliminar
  3. Querida Pitanga ando muito sanguinária:):):)Quero "matar" todos os gajos maus!!! Têm essa fama sim e parece-me que também têm o proveito ou melhor, dão o proveito rsrsrsrsrsrs.
    Lá se vai o meu romantismo para o lixo!!!!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  4. Afinal o gajo era dextro. E afinal quando foi à caixa da ferramenta tirou o punhal e não o alicate. Estava escuro e não vi bem. :)
    Abraço (sem punhal).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido Carapau ele não foi nada à caixa das ferramentas, ele levava no bolso uma faca de ponta e mola...caramba é preciso explicar-te tudo!
      O CSI ainda anda por lá a investigar, se sabem que estás metido na história "tramam-te":):):)
      Beijinhos embrulhados para ti!

      Eliminar
  5. Caramba, acabei de ver ontem um filme sobre aquele serial killer americano que cortava as vítimas aos bocados depois de as matar, e agora, aqui descansado a pôr em dia a blogosfera, mais um crime...
    Onde poderei estar a salvo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido João não estás em perigo, seria uma enorme injustiça pois és uma excelente pessoa.
      Pelo sim, pelo não, o seguro morreu de velho, de vez em quando olha para trás:):):)
      Beijinhos embrulhados para ti!

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Querido Mar este foi "terníssimo"rsrsrsrsrsrsrsrs
      Beijinhos embrulhados para si!

      Eliminar
  7. Existem posturas pra lá de surpreendentes.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  8. Querido Cadinho existem mesmo?
    Muito obrigada por ter passado por aqui, volte sempre é muito bem vindo!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  9. MARI TERE
    é trágico, nao é? abraços que matam
    kis :=(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Gi mesmo muito trágico!:):):)
      Deu-me para o "assassinato" mas parece que não me dei muito bem:)))
      Beijinhos embrulhados para ti!

      Eliminar
  10. Estou de volta e passo apenas para a cumprimentar. Voltarei para ler a história completa, depois de completar as visitas
    Até lá, um bom fds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido Carlos eu não sei bem se estou cá ou noutro lado, ando a leste de muita coisa voluntariamente.
      Obrigada pela visita!
      Beijinhos embrulhados para si!

      Eliminar
  11. O blog entrou de novo em ponto morto?
    É preguiça, cansaço ou estás virada para outras coisas mais interessantes? :)
    Bjo.

    ResponderEliminar
  12. Respostas
    1. Querido Aflores talvez, talvez! Será que eles conseguem descobrir o assassino/terrorista/espião?
      Tudo de bom para ti também Amigo!
      Beijinhos embrulhados!

      Eliminar
  13. Querido Carapau estou prisioneira das minhas emoções (não sei bem onde estou)e esta situação não é muito interessante!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar