terça-feira, 26 de outubro de 2010

UM BEIJO

Naquele dia de Outono o céu começou a chorar, estava escrito no livro da vida que ia acontecer e desejava-mo-lo… Primeiro com lágrimas soltas num choro contido, depois num caudal que corria como rio até ao chão que pisávamos.
Abrigados pelo único chapéu que levávamos, parámos no meio da viela deserta, caminho que nos iria conduzir a um local desconhecido, longe de olhares indiscretos, mas que adivinhávamos acolhedor e belo
.

"Um Beijo" pintado a acrílico sobre tela pelo Renato*

O nosso coração, os nossos corpos, ansiavam por um toque muito íntimo e a chuva ia permiti-lo, dava-nos uma certa invisibilidade.

O odor da terra molhada tornou-se cúmplice do nosso desejo, acirrou-o, tornou-o mais premente, bem juntinhos, olhos nos olhos, lábios sorrindo…as bocas aproximando-se e tocando-se, primeiro leve, breve e docemente… depois perdidas num mar de sensualidade e de volúpia devorando-se…

Aconteceu um primeiro de muitos beijos!

*Ao Renato agradeço o ter-me cedido a fotografia da tela por ele pintada, pedindo desculpa pela ousadia em ter-lhe dado um nome.

33 comentários:

  1. Gostei muito do quadro e fiquei curiosa sobre o seu autor.
    E gostei do texto. Acho interessante a adequação ou inspiração em imagens para a escrita.

    ResponderEliminar
  2. Querida Redonda o autor costuma "passar por aqui" melhor do que eu, ele pode falar-lhe do quadro.
    A relação entre a imagem e a escrita não foi exactamente por essa ordem:):):) Nem tudo o que parece é! Esse beijo aconteceu há mais de 40 anos!:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  3. Lindissimo belissimo o eu blog e o texto magnifico Estou lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles para interagirmos Estarei grato lhe esperando lá
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Querido José muito obrigada pelas suas gentis palavras, certamente que irei retribuir a sua visita. Foi bem-vindo! Volte sempre que puder, será bem recebido.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  5. Maria Teresa, sempre um prazer ler os seus textos, tão mágicos e vividos.
    A tela é linda, também.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. As lembranças de um grande amor ficam sempre tão bem retratadas na nossa memória, que depois basta saber manusear as palavras (e isso tu sabes bem), para sair um texto lindo.
    O quadro complementa-o devidamente.

    ResponderEliminar
  7. A tua cena fez-me lembrar a cena do beijo na "Serenata à Chuva", seguida por aquela outra em que o Gene Kelly canta e dança à chuva. Só que no teu caso estou a ver o bailado a dois e não a solo...
    Também gostei do quadro. Apetece mesmo chapinhar naquelas poças de água. Ou não fosse eu quem sou...
    :-)

    ResponderEliminar
  8. Oii…
    Boa tarde!!!

    Vim fazer uma visita…
    Ameii o texto! Maravilhoso... palavras doces e delicadas!

    ♥´¯`*•.¸¸♥ Grande bjo,
    uma ótima semana!
    Fica com DEUS...

    ♥_________Mih_ ઇઉ

    http://descalcapoesias.blogspot.com/
    http://trevisanimichelle.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Querida Manuela e é tão bom reviver certos actos da vida a que a distância ainda deu mais cor...
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  10. E não disseste: "deixa a chuva cair"! É que faz parte, sabes?
    Ó céus, que eu vou embora!

    ResponderEliminar
  11. Querido Pinguim penso que na altura não me dei conta da beleza que hoje vejo "neste momento"...
    A distância tornou-o mais belo, achas possível?
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  12. Querido Carapau se tivesse saído dança a bailarina seria eu...ele era um "pés de chumbo":):):).
    Fugiu-te a boca para a barbatana por isso confessaste a atracção para as pocinhas.
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  13. Querida Mih_ obrigada pelas sua apreciação ao meu texto. É bem-vinda! Aguardo nova visita sua, entretanto irei retribuir a sua.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  14. Querida Pitanga, sei lá o que disse, já não me lembro ... talvez tenha dito outras frases também:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  15. Um primeiro beijo escondido por entre as gotas de chuva. Lindo. :)

    ResponderEliminar
  16. Maria Teresa!

    Mais uma delicia de texto que me foi dado ler e apreciar. Nada que me surpreenda vindo de quem vem! Tu és muito boa escritora e, certamente, boa noutras coisas....!

    Não precisas pedir desculpa, porque sabes que gosto muito dos teus posts e não só!

    Um beijo para uma Linda Mulher!

    ResponderEliminar
  17. Beijo à chuva... assim, sempre que posso ;)
    Maravilhoso e belo, ao (grande!) estilo que nos habituou... o quadro do Renato é um "bónus" adorável, muito obrigada pela partilha! Beijo Desembrulhado

    ResponderEliminar
  18. Querido Renato até corei! Isso foi uma declaração pública? Espero ter interpretado mal!Posso levá-la a sério e depois?
    Beijinhos embrulhados para ti Amigo!

    ResponderEliminar
  19. Querida Tela desejo que possa fazê-lo muitas vezes!
    O Renato foi um querido amigo que me permitiu e me cedeu a fotografia, ele pinta muitíssimo bem.
    Eu escrevo aqui para partilhar, e por partilhas o seu último texto está maravilhoso. Românticas sem cura as duas!!!Não há nada a fazer...
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  20. Que bem descreve esse beijo apaixonado...
    Abracinho para si!

    ResponderEliminar
  21. Maria Teresa!

    Eu escrevi algo de especial que te tenha feito enrubescer? Somente disse a verdade! Tu és boa a escrever, a gerir, a raciocinar, a tratar os amigos, a ser boa e óptima Mãe, a...outras coisas!

    Um beijo para ti Amiga!

    ResponderEliminar
  22. Querida S* também é uma romântica, não é verdade?
    Felizes os homens que nos têm por companheiras, monotonia não acontece na relação:):):) Não sei é se eles têm "arcaboiço" para tanta criatividade no romance :):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  23. Querido Tio vindo de si esta afirmação, sinto-me lisonjeada!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  24. Querido Renato a tua preciosa amizade faz-te ver "coisas" em mim um pouco empoladas e consegues fazer-me rir!!! E é tão bom rir com vontade de o fazer...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  25. Querida Teresa,

    Linda pintura,belissima tela.
    Desde já Parabens ao artista.
    A si Parabens pelo lindo e simples nome que lhe deu e pelo maravilhoso texto que designou esta maravilhosa pintura.
    Tudo pode ser vivido num simples e leve beijo.
    Adorei!

    Bjinho cheio de luar

    ResponderEliminar
  26. Querida Moonlight muito obrigada pelo seu comentário, sinto-me lisongeada.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  27. minha cara maria teresa;:

    Cada vez que aqui venho, sorrio, sorrio, identifico-me com esta alma gémea, tão singular... tão graciosa e «marota»... que às vezes me ponho a pensar: «um romance escrito a duas mãos __ela e eu __ daria uma obra prima imorredoira!...»

    Coisas, coisas...

    ResponderEliminar
  28. Querido Rouxinol, procurando levá-lo a sério diria: «um romance escrito a duas mãos __ela e eu __ daria uma obra prima imorredoira!...»
    é muito pouco provável, eu sou como já tenho afirmado uma mera escrevinhadora, mas um texto ou um pequeno conto para ser publicado nos nossos blogues é possível. Eu e o Carapau já o fizemos e não nos conhecemos, nem sequer a voz e resultou o que pode ler em:
    http://www.beijinhosembrulhados.blogspot.com/2010/077ultima-gota.html
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  29. Que lindo conto, me fez lembrar do cheiro de chuva rs abraços

    ResponderEliminar
  30. Querido Ives que bom o meu texto lhe trazer gratas recordações. Seja bem-vindo a este cantinho, volte quando puder será sempre bem recebido.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  31. maria teresa,

    O beijo, o simples beijo, tem muito que se lhe diga. Tanto pode ser de uma enorme beleza, de uma enorme delicadeza - até em termos estéticos - ou ter muito de selvagem, de violênca, de loucura. Penso que vivenciaste os dois momentos. Isto em termos de relação amorosa.
    Depois tens o beijo da mãe, uma doçura; o beijo social, aquele que se dá com um certo ar de fastio; o beijo de conveniência, hipócrita; o beijo que damos aos pais, onde impera (deve) um certo respeito; o beijo que damos aos avós. E aí estamos perante outro tipo de ternura: o ar mais fragilizado, o olhar onde baila o sorriso de quem tem o coração aconchegado. Fico-me por aqui.
    Beijinho SEM embrulho.

    ResponderEliminar
  32. Querida Teresa este foi um beijo de amor verdadeiro!
    De beijos já falei muito ou não fosse este um local em que os beijos talvez já sejam excessivos:):):)
    Se puderes vai até aqui:
    http://www.beijinhosembrulhados.blogspot.com/2009/10/beijos.html
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar