quarta-feira, 12 de outubro de 2011

NÃO FIZ NADA!

Após mais um dia de trabalho Albano foi directamente para casa. à chegada encontrou os filhos a brincarem no jardim com os pijamas vestidos. Estavam molhados e sujos de terra, sobre a relva a mangueira parecia uma cobra gigante, algumas embalagens vazias de comida comprada feita e brinquedos espalhados, quanto às crianças gritavam possessas e corriam descontroladamente  atrás umas das outras.
O carro da mulher estava fora da garagem, tal como ele o tinha deixado a pedido dela, as quatro portas estavam totalmente abertas. Albano sentiu um frio percorrer-lhe o corpo e o coração bateu mais forte. Correu para a porta da vivenda que se encontrava escancarada, a sala parecia ter sido varrida por um furacão, a televisão estava ligada, num programa infantil e no volume máximo, na cozinha o frigorífico tinha a porta mal fechada e espalhados pelo chão, pela bancada e pela mesa, encontrou o caos, pedaços de bolachas, embalagens de leite, iogurtes derramados, …
Chamou pela mulher: Arlete, Arlete!
O silêncio respondeu-lhe.
Em corrida subiu as escadas atulhadas de brinquedos e de roupa.
No seu pensamento via a Arlete desmaiada na melhor das hipóteses.
Da casa de banho ao cimo das escadas saía um cheiro nauseabundo a urina e a fezes, o papel higiénico forrava as paredes, toallhas molhadas cobriam o chão, a pasta de dentes tinha servido para a execução de desenhos abstractos, a banheira com alguma água e sabão tinha dois patinhos de borracha que pareciam estar a rir-se dele.
Temendo o pior entrou no quarto do casal…
Ficou petrificado, a Arlete com a camisa de noite ainda vestida, estava recostada nos almofadões lendo uma revista.
-Que aconteceu? Arlete estás bem? Que se passa?
-Nada Albano, nada! Porquê tanta agitação?
-Como é possível dizeres isso, a nossa casa está de pernas para o ar! – Respondeu de cenho franzido o Albano
Arlete sorriu e respondeu: Ah! Estás a referir-te à casa? Não és tu que todos os dias, quando chegas do trabalho e me vês cansada perguntas: “Querida afinal o que é que fizeste em casa, durante todo o dia?”
Pois é querido, hoje NÃO FIZ NADA!
NOTA: Não sou a autora da ideia da história. O original chegou-me por e-mail de autor desconhecido, eu dei-lhe um “banho” bem ao meu modo.
Sei por experiência que, desde que estou reformada, há quem pense que não faço nada…

36 comentários:

  1. Gostei!
    Um pouco exagerada a cena da casa de banho, mas corresponde esta história, e muito bem, ao trabalho que é ser dona de casa.

    ResponderEliminar
  2. Querido Pinguim exagerada é toda a história...mas a casa de banho é o local onde as criancinhas fazem mais porcarias, basta um pequeno descuido...eu que o diga:):):)
    O autoclismo não se puxa, as minhas pinturas ficam remexidas, o papel higiénico fica desenrolado,...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  3. :) Gostei da história e está muito bem escrita.
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Vê-se logo que o pinguim não tem filhos para achar que é exagerado, rrsss (ou netos)... Já conhecia esta anedota via e-mail, mas é bem verdade... :)beijinhos

    ResponderEliminar
  5. MARIA TERESA, as criancinhas dentro de uma casa acham que podem tudo e fazem coisas que até Deus duvida.

    Paloma

    ResponderEliminar
  6. No seu pleno direito!

    ResponderEliminar
  7. Querida Gábi eu também gostei dela por isso a rescrevi!:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  8. Querida Paloma se não tivermos "rédeas" elas "pintam a manta":):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  9. Querido Rouxinol na vida real não se chega a este exagero ... mas a história é um alerta para uma frase que se houve muitas vezes:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  10. Querida Eva (coloquei-a fora de ordem na resposta) quando li a "história" pensei logo em publicá-la, dando-lhe uma pequena arrumação:):):)
    Tem tanto de paralelo com a realidade!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  11. Já somos duas !
    Tenho que um dia me encher dessa coragem :))
    Mulher, mãe e esposa sofre!!!

    beijinhos embrulhados

    ResponderEliminar
  12. Sabes o que te digo?
    Quiseste enganar-nos com essa história para nos convenceres que trabalhas como uma galega (galegas conheço que não fazem nada :))
    Tu andas sempre a vadiar, a passear, deitas-te na espreguiçadeira no jardim, etc. etc. e vens para aqui pregar lições? :)
    Bjo.

    (Não vás tu pensar que enlouqueci, eu percebi muito bem onde querias chegar, chegaste lá muito bem e também acho que "certas" mulheres mereciam mais respeito).

    ResponderEliminar
  13. Ah, graaaande Arlete! Devia ficar mais dias "sem fazer nada". Assim o Albano não fazia perguntas "abstratas" com as figuras do banheiro. hehe

    Um beijo pra ti e um abraço à Arlete!

    ResponderEliminar
  14. Querida Fê é preciso, de vez em quando, pregar-lhes um "susto":):):)
    Mas gostamos tanto deles...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  15. Querido Carapau, para peixe sabes muito...não te consigo enganar:):):)
    Tenho que confessar que presentemente tenho muito menos obrigações do que tinha e aprendi a ser manhosa:):):) Quando não me apetece, digo que estou velha para determinadas tarefas (solicitadas normalmente pelos descendentes)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  16. Querida Pitanga a história original veio daí do Brasil.
    Achei imensa graça,ilustra bem o que muitas vezes se pensa de uma mulher que opta por ficar em casa e dispensa empregada.
    Daqui envio o teu abraço a todas as Arletes do mundo!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  17. Maria Teresa
    Caramba, essa é tão real que até doi...!!!
    Por estas e por outras é que eu sempre digo que o Dia Mundial das Mulheres é TODOS OS DIAS.
    bjs
    G.J.

    ResponderEliminar
  18. menina maria teresa,

    Vamos lá ver, isto dava direito a divórcio e indemnização ao queixoso!
    A boa da Arlete não fazia nada em casa, há meses.
    Há homens que muito padecem!...

    Beijinho SEM embrulho.

    ResponderEliminar
  19. Querido Gaspar é uma sátira que tem muito a ver com a realidade...quantos homens fazem esta pergunta às mulheres que "estão em casa" e têm tudo num "brinquinho"?
    Desmotiva! Eu nunca tive razão de queixa e acumulava (trabalhava também fora) o meu marido reconhecia o meu "valor".
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  20. Querido Carlos serve para desanuviar um pouco as "outras crises", uns trabalham e pagam, outros fingem erecebem:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  21. Querida Terezocas eu até vou ser testemunha do marido...não querem lá ver a preguiçosa, desmazelada, ... :):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  22. Já conhecia mas às vezes reconto-a para dar ~enfase à ideia de que a dona de casa passa, frequentemente, por não fazer nada! Muito bem. Gostei.

    ResponderEliminar
  23. Querida Maria Teresa,

    Adorei seu post hoje!
    Realmente todas as mulheres,que se queixam que seus maridos dizem não fazerem nada,deveriam fazer o mesmo que Arlete.Deu-me vontade de rir...pois meu pai é desse tipo de homens machistas que diz de boca cheia que as mulheres que estão em casa nada fazem.Imaginei a cena e deu-me vontade de rir!
    A futilidade de muitos homens é assim mesmo....tenho pena.

    Bjinho cheio de luar

    ResponderEliminar
  24. Adorei a história,pois é uma realidade que parece piada. Beijinhos carinhosos querida.

    ResponderEliminar
  25. Exagerada ou não adorei a historia.
    beijinho

    ResponderEliminar
  26. Há muitos Albanos por aí, mas felizmente que muitas Arletes os colocam na "ordem";)

    Tudo de bom

    Excelente fim de semana

    ResponderEliminar
  27. Querida Blue muito obrigada pela sua visita, será sempre bem vinda.
    Temos muitas vezes "fama" de nada fazermos e é tão injusto...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  28. Querida Moonlight o que escrevi é uma "anedota" rescrita por mim (não sou autora da ideia) mas por lhe ter achado graça e ver nela uma dose muito real do que acontece com muitas mulheres, trouxe-a até aqui, dei nome às personagens, etc.
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  29. Querida Roseli a historinha em que me baseei veio desse lado do Atlântico por e-mail:):):)
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  30. Querida Autora espero que nunca lhe tenham dito uma coisa parecida com esta:):):)
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar
  31. Querido Aflores sei que tu não tens nada de Albano...és um homem que compreendes muito bem o trabalho dito "feminino"! Bem-hajas! A tua mulher jamais pode ser uma Arlete!
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  32. Querido Mar, resistir e de que maneira...
    Beijinhos embrulhados para ti!

    ResponderEliminar
  33. ;) já conhecia a história e acho que deve continuar a ser partilhada para que se passe a dar mais valor àquilo que todos os dias já nos aparece feito.

    Gostei de passar por aqui! ;)

    Catherine
    (pintarcomquantascoresoventotem.blogspot.com)

    ResponderEliminar
  34. Querida Catherine a "história" andou passeando pela internet, tal como o digo, mas eu pintei-a um bocadinho mais:):):)
    Muito obrigada por ter passado por aqui, volte sempre!
    Beijinhos embrulhados para si!

    ResponderEliminar